Olá, seja bem-vindo(a)! Hoje é Quarta-feira, 04 de Agosto de 2021

Notícia

07/10/2015
GDF gasta R$ 46 milhões em 9 meses com aluguéis de imóveis em 2015

O governo do Distrito Federal gastou R$ 46 milhões com aluguéis de prédios e salas para órgãos públicos em 2015. O valor é menor do que os R$ 51 milhões usados para o mesmo durante o período em 2014, mas poderia ter sido menor, se o GDF ocupasse o centro administrativo de Taguatinga.

Parte da economia se deve à transferência de três secretarias para o Estádio Mané Garrincha. As pastas estão no local desde março. Na época da mudança, o GDF disse que a medida levaria a uma economia anual de R$ 10,5 milhões.

Entre os imóveis usados pelo GDF está o prédio localizado no Setor de Transportes e Cargas, onde funciona o Detran, alugado sem licitação. O espaço está em operação desde fevereiro e deveria ser usado para inspeção veicular ambiental, conforme previsão em contrato, mas o serviço não é realizado.

O aluguel tem o valor de R$ 7,35 milhões entre novembro de 2014 e maio de 2017 – R$ 245 mil por mês. O IPTU custa R$ 50 mil por ano. O Detran informou que o aluguel no galpão do SIA era um pouco mais barato, mas o prédio estava com problemas na estrutura, como infiltrações.

O espaço ocupa um quarteirão e mede 18,21 mil m². No local já funcionam serviços de vistorias para transferências, junta médica, de multas e a diretoria de engenharia.

A expectativa do Detran é que a inspeção veicular ambiental comece a ser feita no ano que vem. O serviço serve para avaliar o quanto carros e motos poluem o ar e a emissão de ruído. O atendimento está previsto no código de trânsito e em uma lei do DF de 2004.

“Assim que os equipamentos estiverem aferidos e o Detran assinar um novo termo de cooperação técnica com a Secretaria de Meio Ambiente, nós iremos, sim, definir um cronograma para que essa inspeção possa ser realizada pelo Detran-DF”, diz o diretor do órgão Jayme Amorim.

A nova sede do GDF em Taguatinga foi feita em uma parceria público-privada entre o governo e duas construtoras. A previsão é que 12 mil servidores devam trabalhar no local.

A Justiça anulou o habite-se do complexo. Sem a ocupação, o GDF não está pagando nada às construtoras. Quando a mudança ocorrer, o governo vai pagar R$ 23 milhões ao mês em troca de serviços como vigilância, limpeza e manutenção. O contrato vale por 21 anos.

O governo providenci móveis, estrutura pra internet, telefone e aprimora detalhes do contrato. A expectativa é que a mudança seja feita gradualmente a partir de 2015.

“A nossa ideia é já no início do próximo ano começar a fazer a transferência dos servidores para o centro administrativo. Tem que ser feita de forma muito cautelosa, para que a gente não perca documentos, por exemplo, para que a interrupção seja a menor possível, de serviços”, afirma o secretário de Gestão Administrativa, Alexandre Lopes.

Ligue agora

(31) 3032-0401

Contato por e-mail

site@carmoeandrade.com.br